Alimentação

As diferenças entre carne de sol, carne-seca e charque + dicas para prepará-las

Assim como a carne-seca, o charque (de coloração mais escura) possui quantidades generosas de sal
Assim como a carne-seca, o charque (de coloração mais escura) possui quantidades generosas de sal

Carne de sol, carne-seca e charque: você sabe quais são as diferenças entre esses alimentos? Populares na culinária brasileira, essas carnes possuem uma característica em comum: todas elas são conservadas com bastante sal e possuem um longo tempo de vida útil quando armazenadas da forma certa. Mesmo assim, elas apresentam diferenças entre si e podem ser preparadas de distintas maneiras. Para saber mais, dá uma olhada na matéria!

Carne de sol possui uma quantidade inferior de sal

Conhecida também como carne de vento e carne do sertão, a carne de sol é uma variação típica do Nordeste. Sua principal diferença em relação à carne seca e ao charque está na forma de conservação do alimento. De maneira geral, a carne de sol passa por um processo de secagem (ou desidratação) que dura cerca de 2 a 3 horas em um local coberto e ventilado e, diferente do que o nome dá a entender, não fica exposta ao sol. Graças a essas características, ela é menos salgada que os outros dois tipos e também possui mais umidade.

A carne de sol é tradicionalmente servida como um aperitivo nos restaurantes. Para prepará-la, basta colocá-la em uma bacia coberta com água, deixar na geladeira por cerca de 8 horas e trocar a água pelo menos duas vezes para eliminar o excesso de sal. Depois de dessalgar a carne, corte-a em cubinhos, tempere com pimenta-do-reino e outras especiarias e frite no óleo com rodelas de cebola.

Carne-seca é a variação mais popular

Extremamente popular, a carne-seca é a opção mais encontrada nos supermercados. Ao contrário da carne de sol, seu processo de secagem inclui uma etapa exposição ao sol e uma quantidade generosa de sal. Por conta disso, ela também é a variação mais salgada e pode durar até 4 meses fora da geladeira (em temperatura ambiente).

Para prepará-la, o ideal é dessalgar a carne deixando-a de molho em um recipiente com água por pelo menos 24 horas. Feito isso, basta cozinhá-la normalmente e servir da maneira que você preferir! A carne-seca costuma combinar muito bem com porções de mandioca frita, bolinhos de aipim recheados e escondidinhos, podendo também ser preparada em uma versão mais simples, como clássico prato de carne-seca acebolada.

Charque é o mais salgado dos três tipos

O charque possui um processo de desidratação bem parecido com o da carne-seca. Feita a partir de cortes bovinos, a carne é bem mais salgada e mais firme (em termos de textura) que os outros dois tipos. E, por isso, também possui uma coloração mais escura.

Por ter o sabor mais intenso, o charque é excelente para temperar o feijão e deixá-lo com um gostinho especial. Ele também acompanha alguns pratos típicos do Nordeste, como o arroz carreteiro - apesar de ser mais popular no Sul do país - e costuma ser preparado com bastante gordura. Mas, assim como os outros tipos de carne, você precisa dessalgá-la antes do preparo!

Matérias: Alimentação

Ver mais