Economia do lar

Separação de lixo para reciclagem: como fazer em casa da forma correta

Fazer a separação do lixo em recicláveis, orgânicos e eletrônicos é funtamental para ser mais sustentável
Fazer a separação do lixo em recicláveis, orgânicos e eletrônicos é funtamental para ser mais sustentável

Quando se trata de ter hábitos mais sustentáveis, fazer a separação de lixo para reciclagem é algo que não pode faltar na sua rotina. A boa notícia é que essa tarefa é simples de realizar e faz uma diferença enorme para o meio ambiente. Mas você realmente sabe detalhes de como separar corretamente o seu lixo? É necessário lavar garrafas de vidro ou metal, por exemplo, antes de descartar? Para esclarecer dúvidas importantes, nós listamos dicas de como separar o lixo sem cometer erros. Dá uma olhada!

Como fazer a separação de lixo para reciclagem?

Antes de tudo, o mais importante é conhecer as categorias básicas para fazer a separação do lixo. Existem três classificações principais: lixo orgânico (restos de alimentos), lixo reciclável (composto por plástico, vidro, alumínio, papelão etc.) e lixo eletrônico (como pilhas e baterias, que têm substâncias tóxicas). Fazer essa separação de lixo em casa já faz toda diferença, sabia? Confira as dicas que separamos para ser o mais ecofriendly possível:

Lixo orgânico: como separar e fazer uma possível reciclagem

Para começar, o ideal é separar um lixo exclusivo para descartar restos de verduras, legumes, frutas, cascas, sementes, talos, raízes e por aí vai. Você também pode procurar ser mais sustentável aproveitando ao máximo os alimentos - algumas sementes e cascas, por exemplo, são bem nutritivas e fáceis de incluir na alimentação. Sementes de abóbora, em especial, são bem saborosas e cascas de diversos vegetais têm um alto valor nutricional.

Outra dica interessante é recorrer à técnica da compostagem, que consiste em uma espécie de reciclagem do material orgânico. Aqui, a ideia é transformar restos de alimentos (cascas, talos, raízes, caules, borras de café e outros) em adubo para as plantas da casa. Dá supercerto e você ainda reduz a produção de lixo!

Nesse caso, em vez de jogar os alimentos orgânicos direto no lixo, você deve usar a composteira (ou "minhocário caseiro") que é um tipo de caixa que serve para transformar os alimentos em adubo. Se você gosta de praticar jardinagem e quer se comprometer em ter hábitos mais ecológicos, esse já é um excelente começo!

Como separar corretamente o lixo reciclável em casa

Para descartar o lixo reciclável em casa, você não precisa fazer uma separação rigorosa de plásticos, papeis e metais, por exemplo. Basta fazer uma divisão simples entre orgânicos e recicláveis. Ou seja, tenha um lixo exclusivo para jogar todas as garrafas pet, alumínios, plásticos e papeis.

Ao serem descartados, esses materiais são encaminhados para uma central mecanizada de triagem - lá, os resíduos são separados e seguem caminhos distintos. No final, todos se tornam matéria-prima e os rejeitos (materiais identificados como não recicláveis) são destinados ao aterro sanitário. Bem interessante, né? É por conta desse sistema de triagem bem elaborado que você não precisa separar o lixo reciclável em casa de acordo com os materiais.

Ainda assim, é importante lembrar que a coleta seletiva de lixo envolve o processo de separação que cada um faz em casa. Ou seja, quanto mais correto for o seu descarte de lixo, melhor será para as etapas de triagem e reaproveitamento dos materiais. 

Caso você queira ajudar, uma boa opção é fazer uma rápida lavagem do lixo reciclável (principalmente garrafas pet, latas de alumínio, embalagens de iogurtes e outras) antes de descartá-lo. Assim, você também facilita a vida de catadores de materiais recicláveis. 

Vale destacar, ainda, que nem todos os papeis e plásticos são considerados recicláveis. Fralda de bebê, absorvente, papel toalha, papel higiênico e outros papeis sujos não podem ser reciclados, por exemplo. Eles devem ser descartados em um lixo comum - uma boa dica é ter uma cesta de lixo exclusiva para essa categoria em casa.

Como podemos separar o lixo eletrônico dos demais

Você sabia que alguns resíduos têm substâncias tóxicas e não podem ser descartados normalmente? Eles se encaixam na categoria de lixo eletrônico, que deve ser encaminhado para um aterro sanitário específico.

Nessa lista de lixo perigoso, encontram-se: pilhas, baterias, lâmpadas fluorescentes, termômetros, celulares, computadores, lixo hospitalar e diferentes produtos químicos. Esses resíduos geralmente contêm uma quantidade grande de metais pesados (como mercúrio e outros compostos poluentes) que fazem mal à água, ao solo e ao meio ambiente de uma forma geral.

Você precisa separar esse lixo com cautela - em um saco plástico mais resistente - e descobrir uma estação própria de descarte perto da sua residência. O óleo de cozinha, em especial, também se encaixa nessa categoria de lixo tóxico - por isso, ele deve ser armazenado em uma garrafa pet e encaminhado para um posto de reciclagem apropriado.

Afinal, qual a importância de separar o lixo em diferentes categorias?

Embora pareça ser uma atitude simples, separar o lixo corretamente causa um impacto muito positivo no planeta, sabia? De acordo com a ONG WWF-Brasil (Fundo Mundial para a Natureza), em 2019, o país produziu 11,3 milhões de toneladas de lixo plástico. No entanto, apenas 1,3% dessa quantidade foi reciclada.

Ou seja, os brasileiros ainda não adotaram tão bem o sistema de reciclagem e, por isso, é muito importante que cada um se conscientize o quanto antes! Ao fazer a separação de lixo em casa por conta própria - o que não leva muito tempo ou recursos - é possível reduzir drasticamente a geração de lixo e contribuir para um mundo melhor.

Matérias: Economia do lar

Ver mais