Economia do lar

Fazer álcool em gel é perigoso! Entenda os riscos das receitas caseiras do produto

O álcool em gel nunca deve ser produzido em casa, pois há o risco de acidentes pela mistura de substâncias ineficazes
O álcool em gel nunca deve ser produzido em casa, pois há o risco de acidentes pela mistura de substâncias ineficazes

Muito usado para higienizar as mãos, o álcool em gel é um produto que tem ação germicida, é bem prático para levar sempre na bolsa e é bem eficaz - sendo útil para quando não é possível lavar as mãos na rua, por exemplo. No entanto, em vez de comprar o álcool já pronto, algumas pessoas experimentam fazer o produto em casa - o que pode ser uma tarefa um tanto perigosa. Então, para evitar acidentes, nós preparamos uma matéria esclarecendo o porquê de não ser indicado fazer álcool em gel por conta própria. Confira!

Por que não é indicado fazer álcool em gel em casa?

Enquanto o álcool em gel industrializado é 100% seguro e eficaz, o caseiro pode acabar tendo algumas falhas e, em alguns casos, até mesmo causar acidentes (tanto no modo de preparo quanto no uso). Aqui, nós listamos os principais motivos para não fazer esse produto em casa:

1. Manusear substâncias inflamáveis em casa pode causar acidentes

O primeiro ponto que deve ser levado em conta é que manusear produtos inflamáveis (como o álcool 70) pode causar acidentes graves em casa. O uso do álcool muito concentrado, em especial, pode gerar incêndios, queimaduras e irritações na pele a longo prazo.

2. Produto caseiro pode ser ineficaz contra germes

Você sabia que o álcool em gel caseiro também tem grandes chances de ser ineficaz? Esse tipo de produto não passa por testes (que comprovem a sua eficácia) e também é feito de forma mais amadora - sem levar muito em conta as proporções dos ingredientes.

Existem, por exemplo, receitas de álcool em gel que levam gelatina incolor ou gel para cabelo, resultando em misturas ricas em sais minerais, proteínas e outras substâncias que podem diminuir a efetividade do produto. Além disso, caso a mistura final tenha um baixo teor de álcool, o produto não apresentará ação germicida - ou seja, é muito difícil acertar a fórmula exata do álcool em gel.

3. Pode causar alergias, irritações e até queimaduras na pele

É importante destacar que o álcool líquido superconcentrado pode gerar alergias na pele (quando utilizado de forma errada) e não deve ser aplicado em misturas caseiras. Ao utilizar gel para cabelo e outros produtos no preparo, por exemplo, é possível provocar reações químicas bastante prejudiciais à pele - causando irritações, alergias ou até mesmo queimaduras. Além disso, o álcool em gel industrializado conta com substâncias que evitam o ressecamento da pele e um tipo de neutralizador de pH (importante para controlar a acidez do produto final).

Caso você prepare álcool em gel caseiro, é muito difícil ter o controle do pH e garantir 100% a eficácia do produto. Em alguns casos, inclusive, as misturas podem surtir o efeito oposto - isto é, em vez de eliminar vírus e bactérias, podem potencializar ainda mais a sua proliferação. Não é à toa que a venda de receitas caseiras do produto têm venda proibida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Por isso, a nossa sugestão é nunca fazer ou comprar álcool em gel de procedência duvidosa, dando preferência sempre às versões industrializadas vendidas em mercados ou farmácias. A Qualitá, por exemplo, disponibiliza álcool em gel em potes de até 500 ml, que podem ser divididos em frascos menores para deixar na bolsa ou mochila no dia a dia. Fica a dica!

Matérias: Economia do lar

Ver mais