Economia do lar

Lista de compras para casal com filhos: o que não pode faltar na cestinha de mercado

Pensar nas principais refeições do dia pode ser uma grande ajuda na hora de criar a lista de compras do mercado
Pensar nas principais refeições do dia pode ser uma grande ajuda na hora de criar a lista de compras do mercado

Sabe aquelas dúvidas clássicas que todo casal tem quando vai fazer as compras do mês? Então, as coisas costumam complicar ainda mais quando o casal em questão decide aumentar a família. Muitas vezes é necessário dobrar a quantidade de alimento ou até mesmo acrescentar novos produtos específicos (por exemplo, os infantis). Para te ajudar nesse desafio, nós separamos algumas dicas essenciais do que não pode faltar na sua cestinha. Dá uma olhada!

Pense nas principais refeições do dia e organize a sua lista

Uma das principais maneiras de não errar na quantidade certa de ingredientes e produtos é ter em mente todas as refeições diárias: café da manhã, almoço, jantar, lanchinhos no meio tempo e por aí vai. Elas não costumam variar muito, mas o ideal é que você analise o dia a dia da sua família e anote as suas necessidades (repare, por exemplo, se alguma das pessoas sempre almoça fora por conta do trabalho, isso faz toda a diferença no orçamento final).

Outra dica essencial para não se perder no meio disso tudo é separar a lista do supermercado por categorias e tópicos. Comece pelas 4 clássicas - alimentação, limpeza, higiene e outros - e vá afunilando aos poucos com os subtópicos importantes para a sua casa.

E se você for pai ou mãe de primeira viagem, faça uma lista à parte com os produtos específicos que você não pode esquecer para o seu filho! Como, por exemplo, shampoo e condicionador infantil, leite desnatado, semi-desnatado ou integral (dependendo do gosto do seu filho), creme e escova dentais específicos etc.

Utilize uma lista pronta como base e aprenda a incrementar o cálculo médio de comida

Se você e o seu parceiro (ou parceira) já moram juntos há algum tempo, provavelmente já se tornou hábito conferir - pelo menos uma vez por mês - a checklist de produtos básicos que não podem ficar fora da cestinha de mercado. Ou seja, já temos meio caminho andado!

A parte mais difícil é justamente no momento de acrescentar os filhos à lista de compras e encontrar as novas quantidades ideais para a casa. Ou melhor, aumentar o cálculo médio que vocês estavam acostumados a utilizar como guia. O mais importante nessa etapa, na verdade, é levar em consideração a quantidade de filhos e a faixa etária de cada um deles. Assim, o cálculo fica muito mais simples.

Para te ajudar nessa tarefa, utilize o valor do consumo médio individual (normalmente por refeição) como base dos cálculos, multiplicando-o pela quantidade de refeições diárias, pelo número de pessoas que mora na casa e pelos 7 dias da semana ou do mês - dependendo da frequência com que você vai ao mercado. 

Por exemplo, uma criança costuma consumir cerca de 62 g de arroz por refeição (isso quando o alimento não é servido como um acompanhamento - como no caso do arroz com feijão, por exemplo). Já os adultos consomem, em média, 80 g do alimento (o que, para um casal, equivale a 160 g). Dessa forma, a quantidade diária de arroz deve ser o somatório dos valores (160 g + 62 g) vezes a quantidade de refeições por dia (neste caso, almoço e jantar). Ou seja, 444 g.

Seguindo esse raciocínio, se a frequência de compras for semanal, um saco de 5 kg de arroz deve ser mais do que suficiente - ele renderia 9 ou 10 dias (pouco a mais de uma semana). Caso a frequência seja mensal, um a melhor opção é o saco de 10 kg. Isso, claro, levando em consideração duas pessoas e apenas uma criança. 

Dica: Tenha em mente os principais alimentos que não podem faltar em uma cesta para dois, como arroz, feijão, macarrão, carnes, açúcar, farinha de trigo, leite, sal, frutas, legumes e afins.

Obs.: Para os pais que ainda se sentirem perdidos, vale a pena dar uma olhada na tabela de pirâmide alimentar do Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria. Ela delimita o número exato de porções diárias recomendadas para crianças e adolescentes, de acordo com a idade e com os grupos de alimentos.

Anote os itens que forem acabando

Da mesma forma que você não vai dar o mole de sair de casa sem verificar o que ainda tem na despensa, não deixe de anotar os itens conforme eles forem acabando. Se você conseguir criar esse hábito, sua lista ficará muito mais simples.

Dica bônus: Você sabia que existem aplicativos de celular que permitem criar uma lista de mercado do zero e organizá-la por categoria, ordem de preferência, ou como você desejar? É realmente uma mão na roda e normalmente eles abrangem desde as listas mais básicas às mais completas. Vale a pena testar!

Matérias: Economia do lar

Ver mais