Economia do lar

Doação, revenda ou lixo? Aprenda a decidir o destino dos itens que você não quer mais

Vai fazer a limpa na sua casa? Descubra o melhor destino para suas roupas e objetos
Vai fazer a limpa na sua casa? Descubra o melhor destino para suas roupas e objetos

A hora de fazer a limpa nos pertences também é conhecida como a hora do desapego - afinal, para deixar tudo na devida ordem, é mais do que necessário se desfazer do que não usamos mais. Mas será que você realmente sabe o destino ideal para todas as peças e objetos que não vão continuar na sua casa? 

Bom, para te ajudar nessa tarefa, separamos algumas dicas para você saber quando doar, revender ou jogar no lixo o que não te pertence mais. Gostou do help? Então vem conferir para não ficar mais na dúvida: 

Doação: doe tudo o que foi muito usado e continua em bom estado

Roupas que já foram usadas muitas vezes e que, ainda assim, estão em um bom estado podem ser separadas para doação - afinal, tem muita gente que pode estar necessitada do que não te serve mais. Sabe aquela blusinha que te rendeu bons momentos, ainda está ótima, mas não tem mais a ver com seu estilo? Então. E o mesmo vale para os demais objetos - como móveis, por exemplo -, que você não quer mais apenas porque vai dar uma repaginada na decoração e eles não se encaixam mais com o visual desejado. 

Revenda: peças e objetos novos podem te ajudar a ganhar um dinheiro extra

Agora, se você tem uma peça de roupa, móvel ou qualquer outro objeto que mal foi usado e já vai entrar na fila do desapego, vale aproveitar para investir na revenda - ainda mais se uma graninha extra for mais do que bem-vinda no mês em questão. Para não precisar vender apenas para conhecidos, você pode ter a Internet como aliada e montar uma lojinha online para expor tudo o que deseja vender sem precisar ter muito trabalho para isso. Seu bolso e comodidade agradecem!

Lixo: tudo o que está danificado e não tem conserto deve ser jogado fora

Roupas e objetos em geral que estão danificados não devem ter outro destino que não seja o lixo - a não ser, é claro, que dê para reparar o defeitinho em questão para doar para alguém ou até revender, dependendo do estado em que ele se encontre. Mas, se a reforma for dar mais prejuízo, não tem jeito: melhor não insistir e não reaproveitar! O melhor a se fazer é desapegar de vez jogando no lixo. 

Matérias: Economia do lar

Ver mais