Alimentação

Tipos de farinha: panko, trigo, arroz e mais! Conheça as principais variações e suas diferenças

Farinha de trigo, arroz, mandioca, rosca e milho são algumas das suas principais variações
Farinha de trigo, arroz, mandioca, rosca e milho são algumas das suas principais variações

Quando pensamos em farinha, a primeira que vem à cabeça é a de trigo, não é mesmo? Mas basta uma rápida visita ao supermercado para perceber que existem diversas variações do alimento! Podemos encontrar farinha panko, de arroz e muitos mais tipos. Para te ajudar a escolher a melhor opção para as suas receitas, nós decidimos preparar uma lista com as principais variações do alimento e suas diferenças. Assim, você vai saber usar o tipo certo sempre que precisar cozinhar em casa!

Farinha de trigo branca é a derivação mais conhecida

Indicada em praticamente todas as receitas, a farinha de trigo é a variação mais conhecida de todos os tipos. A título de curiosidade, ela é tão importante que na maior parte das civilizações do Ocidente chega a ser considerada a base da alimentação. Uma de suas vantagens é o sabor neutro da massa e o alto teor de glúten e amido presente no alimento, capaz de conferir elasticidade ao preparo de bolos, tortas, pães e biscoitos - além de ser uma ótima solução para criar a consistência perfeita no preparo de molhos e cremes.

Farinha de arroz não contém glúten e pode substituir a farinha de trigo

Usada no preparo de receitas sem glúten, a farinha de arroz é conhecida como uma excelente opção para substituir a farinha de trigo. Ela também apresenta um sabor neutro, é rica em fibras, vitaminas e minerais importantes e ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue devido ao seu baixo índice glicêmico - outra vantagem em relação à farinha branca.

Farinha de mandioca combina com caldos, carnes, croquetes e bolinhos fritos

Servida com arroz e feijão ou usada para fazer farofa, a farinha de mandioca é uma derivação que faz muito sucesso por todo o Brasil. Ela é um ingrediente versátil que combina bem com caldos, carnes, croquetes e bolinhos fritos, pode usada no preparo de pães, biscoitos (como bijus) e receitas tipicamente brasileiras e não contém glúten em sua composição. O único cuidado que você deve ter é o de equilibrar as porções do alimento! A farinha de mandioca engorda e pode aumentar os níveis de açúcar no sangue.

Farinha panko é ideal para o preparo de comidas à milanesa

Se o objetivo for preparar uma comida à milanesa perfeita, a farinha panko é a opção ideal para a sua escolha! Por ser feita a partir da trituração do pão seco, ela contribui para uma crosta sequinha e crocante. Outra dica é utilizá-la no preparo de nuggets caseiros - fica uma delícia!

Farinha de rosca é parecida com a panko

A farinha de rosca é outra opção saborosa e crocante para quem deseja fazer uma comida à milanesa bem-feita. A diferença é que, por não ser tão flocada e crocante quanto a panko, ela normalmente precisa de mais de uma camada para que bife fique com a consistência perfeita. Nesse caso, a dica para usá-la da maneira certa é optar por um bife mais fino. Assim, não tem erro!

Farinha de milho pode ter flocos finos, médios e espessos

A farinha de milho possui diferentes texturas e usos na cozinha de acordo com a variação dos flocos do alimento. Se for apresentada na forma de flocos espessos (flocão), pode ser usada no preparo de farofas, cuscuz e bolos.

Já se for um produto de flocos médios (fubá), é ideal para o preparo de biscoitos, polentas, cremes e até mesmo algumas receitas que nos fazem sentir o gostinho da infância, como o bolo de fubá de vó.

Se for uma variação de flocos finos (farinha de milho comum), ela serve para fazer diferentes produtos de panificação - como pães e broas de milho - além de farofas, tutus e receitas de nachos ou tortillas.

Matérias: Alimentação

Ver mais