Economia do lar

Qual a diferença entre lixo orgânico e inorgânico? Saiba como descartar cada um deles

O lixo orgânico é formado por restos de verduras, legumes, frutas, cascas, talos (entre outros materiais orgânicos) e deve ser descartado de forma separada do lixo inorgânico
O lixo orgânico é formado por restos de verduras, legumes, frutas, cascas, talos (entre outros materiais orgânicos) e deve ser descartado de forma separada do lixo inorgânico

Separar o lixo para o descarte é um hábito que, apesar de simples, faz muita diferença para o mundo. Ao dividir os resíduos de forma adequada, você garante que cada tipo de material seja encaminhado para o local apropriado - garrafas pet e embalagens plásticas, por exemplo, podem ser recicladas - o que reduz o impacto no meio ambiente. Para falar mais sobre o assunto, nós preparamos uma matéria falando sobre a diferença entre lixo orgânico e inorgânico. Assim, você aprende a ter um estilo de vida mais sustentável e a fazer o descarte correto de cada um deles. Confira!

Afinal, o que é lixo orgânico e inorgânico?

Diferenciar lixo orgânico de inorgânico não é uma tarefa muito difícil. O lixo orgânico, como o nome já sugere, é todo resíduo que provém da matéria orgânica - ou seja, restos de vegetais (folhas, cascas, talos, raízes, galhos, borras de café e restos de comida) e também de animais (como possíveis insetos que ficam presentes nos alimentos).

O lixo inorgânico, em contrapartida, é todo material sintético, que tem origem não biológica - ou seja, que é produzido pelo homem por um meio não-natural - como plástico, vidro, alumínio (o que inclui embalagens plásticas ou de papel, garrafas e latas, por exemplo).

Faça compostagem com o lixo orgânico

Agora que você já sabe a diferença entre os dois tipos de lixo, é importante aprender como descartá-los da forma correta. O lixo orgânico, em especial, pode ser reaproveitado para fazer compostagem - que consiste em transformar resíduos de alimentos em adubo. Essa é uma ótima dica para quem pratica jardinagem e gosta de cuidar bem das plantinhas de casa.

Para fazer a compostagem, você vai precisar de uma composteira, que é formada por três caixas empilhadas. Nas duas superiores - que devem ser furadas -, você deve colocar todo o lixo úmido (que consiste em todos os restos de alimentos), uma quantidade maior de lixo seco (como folhas e galhos) e uma colônia de minhocas, que são as responsáveis por consumir a matéria orgânica e, assim, produzir o húmus (adubo). A caixa de baixo serve para coletar todo o líquido gerado pela decomposição da matéria orgânica. A boa notícia é que esse chorume também pode ser utilizado posteriormente durante a jardinagem. Interessante, né?

Mesmo que você não faça compostagem, é muito importante separar o lixo orgânico do inorgânico. Para isso, tenha uma lixeira específica na casa apenas para descartar os restos de alimentos, cascas e talos de vegetais, borras de café e outros lixos orgânicos.

Reúna todo o lixo inorgânico em uma lixeira

Para descartar o lixo inorgânico, o mais indicado é ter uma lixeira separada, onde você deve reunir basicamente garrafas pet, embalagens plásticas, potes de vidro e latas de metal. Esse tipo de lixo é reciclável - ou seja, deve ser encaminhado para a coleta seletiva para que passe por uma triagem e, então, seja transformado em outros materiais. Ao fazer essa separação simples em casa, você contribui para a lógica da reciclagem e ajuda a diminuir a quantidade de poluentes para a natureza.

Obs.: Vale destacar que o lixo eletrônico (como celulares, computadores e aparelhos de som), remédios, pilhas, baterias, termômetros e lâmpadas fluorescentes devem ser descartados em um lixo separado dos materiais orgânicos e inorgânicos. Isso porque eles possuem substâncias tóxicas e devem ser encaminhados para um aterro sanitário próprio.

Matérias: Economia do lar

Ver mais