Economia do lar

Óleo de girassol, canola, soja ou milho? Descubra por qual optar na hora das compras

O óleo de canola pode ser uma boa alternativa para fritar alimentos no dia a dia
O óleo de canola pode ser uma boa alternativa para fritar alimentos no dia a dia

Quando se trata de preparar frituras, massas de bolos e outras receitas caseiras, o óleo de cozinha é um dos ingredientes mais importantes. Mas você sabia que existem inúmeras versões desse produto? Extraído de diferentes plantas, sementes e vegetais (como soja, milho, coco e oliva), ele pode ser uma alternativa nutritiva para o preparo de diferentes pratos. Para que você aprenda a escolher a melhor opção (dependendo da utilidade), nós preparamos uma matéria explicando as diferenças entre o óleo de girassol, canola, soja e milho. Dá uma olhada!

Óleo de girassol é bem leve e pode ser usado para diversas finalidades na cozinha

Rico em gorduras poli-insaturadas e vitamina E (que são benéficas para a saúde), o óleo de girassol é uma alternativa bem versátil, que pode ser usada para grelhar, assar e fritar alimentos no dia a dia - desde carnes (vermelhas e brancas) até batatas e outros legumes. No entanto, quando se trata de temperar comidas, como saladas ou marinadas para carnes, o mais indicado é recorrer ao azeite extravirgem e a outros tipos de óleos de cozinha, tais como o canola ou o de gergelim. O grande diferencial do óleo de girassol é que ele atinge temperaturas mais elevadas (pode atingir até 200°C sem perder suas propriedades, por exemplo), o que facilita na hora de fritar certos alimentos.

Óleo de canola tem uma concentração maior de gorduras monoinsaturadas e é ótimo para grelhar, fritar e temperar saladas

Muitas pessoas acreditam que o óleo de canola faz mal para a saúde - isso porque ele é produzido artificialmente a partir da colza (um tipo de planta). Mas sabia que esse imaginário não condiz com a realidade? O óleo de canola, muitas vezes, acaba sendo uma das opções mais saudáveis e nutritivas dentre os óleos - pois contém uma quantidade maior de ômega 3, de gorduras monoinsaturadas e uma porcentagem menor de gorduras saturadas. Por ser mais refinado, inclusive, ele costuma ser mais caro que os demais. Além de ser usado para fritar, assar e grelhar alimentos, esse tipo de óleo também pode ser útil na hora de temperar saladas e outras comidas. Para que ele não perca suas propriedades, o ideal é que seja aquecido até no máximo 180°C.

Óleo de soja é indicado para fazer refogados, molhos e massas

O óleo de soja, assim como o de girassol, se destaca por ter um teor alto de gorduras poli-insaturadas e também pode ser usado de diversas formas na cozinha. Ele pode ser útil no preparo de molhos, refogados e até mesmo de massas de pães e bolos. Existe um imaginário, no entanto, que óleo de soja faz mal para a saúde. No entanto, ele só pode ser maléfico quando superaquecido (atingindo mais de 180°C, por exemplo), reaproveitado ou consumido de forma excessiva.

Óleo de milho tem um cheiro mais suave e pode ser usado no preparo de grelhados, assados e massas

Apesar de ter uma quantidade menor de gorduras poli-insaturadas (que são benéficas), o óleo de milho também pode ser saudável e usado de diferentes formas. Geralmente, ele é indicado para preparar grelhados, assados ou até mesmo massas de bolos e pães. O grande diferencial desse óleo é que ele tem um cheiro mais suave (não deixa um gosto forte nos alimentos) e é bem versátil. Assim como a maioria dos óleos de cozinha, ele não deve ser aquecido a mais de 180°C (para não perder suas propriedades).

Matérias: Economia do lar

Ver mais