Economia do lar

Fogão elétrico ou fogão a gás? Descubra qual opção vale mais a pena para você

Fogão a gás é o mais usado nas residências brasileiras e não gera gasto de luz
Fogão a gás é o mais usado nas residências brasileiras e não gera gasto de luz

Você já parou para pensar que o fogão que você escolhe pode influenciar - e muito - no seu bolso? Pois é, exatamente como ocorre com o chuveiro e outros equipamentos da casa. Por isso, para te ajudar na missão de decidir entre a versão elétrica e a gás para você economizar de fato, preparamos uma matéria especial explicando os prós e contras de cada um - além de ainda dar algumas dicas de limpeza. Vem conferir!

Fogão elétrico: maior gasto de energia, mas esquenta a comida mais rapidamente

Depois de fazer sucesso na Europa, o fogão elétrico - também conhecido como cooktop elétrico - passou a conquistar os brasileiros e a aparecer em muitos lares daqui. Seu design arrojado e mais moderninho é uma das principais vantagens vistas por quem decide optar por ele; no entanto, ele tem a desvantagem de ser mais um gasto na conta de luz - o que pode ser um ponto negativo para quem está buscando economizar o máximo possível com esse extra.

Outro lado ruim é o fato dele não vir junto com um forno, o que faz com que seja necessário instalar um elétrico ou a gás para que a cozinha fique completa e, também, de panelas específicas (como as de aço, por exemplo) - o que vai gerar mais um gasto. Mas, mesmo com tudo isso, ele tem a vantagem de esquentar a comida muito mais rápido e de demorar mais a esfriar. 

Como é a limpeza?

A limpeza deve ser feita com um pano úmido e livre de fiapos para que não corra o risco de ficar preso nos queimadores - que devem estar frios para que você não acabe queimando a mão durante a tarefa. A sujeira mais insistente do fogão pode ser removida com a ajuda do bicarbonato de sódio, e os queimadores devem ser removidos e devidamente limpos com um pano umedecido com água e sabão. 

Fogão a gás: não aumenta a conta de luz e usa um combustível de fonte renovável

Mais comum nas casas em geral e disponível em vários modelos diferentes, o fogão a gás pode não ser tão econômico quanto parece. Isso porque, apesar de ser mais barato que o primeiro e não aumentar a conta de luz, precisa do bujão de gás para que funcione - e, dependendo da frequência com que for usado e da quantidade de pessoas presentes na casa, isso pode gerar gastos a mais. Além disso, também exige que todos tenham uma cautela maior com a segurança para que não ocorra nenhum tipo de vazamento do material inflamável com o qual é composto o gás, além de uma limpeza mais cuidadosa para que não fique enferrujado cedo demais.

No entanto, não é à toa que ele é o mais tradicional entre os dois tipos: além de não descontar na conta de luz,  ele de uma forma geral é mais barato. Além disso, já vem junto com o forno - diferentemente da versão elétrica - e pode ser usado com qualquer tipo de panela. 

Como é a limpeza?

Para limpar o fogão a gás e não correr o risco de danificar a sua aparência, a dica é usar detergente neutro esfregando com uma bucha - porque elas causam um desgaste menor e diminuem as chances de deixarem marcas na superfície. Depois, para remover o produto e a umidade, o segredo é apostar em um pano macio que esteja limpo e seco. As partes desmontáveis, por sua vez, devem ser retiradas e colocadas de molho em água quente para que seja possível eliminar, de fato, todos os resíduos.

Matérias: Economia do lar

Ver mais