Pets

Água de arroz para desintoxicar cachorro funciona? Veterinária esclarece a dúvida

Para tratar diarreia e desintoxicar cachorro, em vez de oferecer água de arroz é muito importante propor uma dieta equilibrada e dar sempre água fresca
Para tratar diarreia e desintoxicar cachorro, em vez de oferecer água de arroz é muito importante propor uma dieta equilibrada e dar sempre água fresca

Cuidar da saúde do cachorro requer certo planejamento e o acompanhamento constante de um médico veterinário - principalmente quando o pet apresenta coceiras intensas, possíveis secreções, diarreias frequentes e outros problemas. Há pessoas que, diante de alguns sintomas, decidem recorrer a remédios caseiros sem saber ao certo sobre a sua eficácia. A água de arroz, por exemplo, costuma ser usada para desintoxicar o pet e tratar diarreia de forma mais simples. Mas será que essa solução realmente é indicada? Para saber mais sobre o assunto, nós conversamos com a veterinária Izadora Trindade, que esclareceu melhor essa polêmica. Confira!

Afinal, a água de arroz serve para tratar diarreia e desintoxicar cachorro?

Embora tenha certo efeito desintoxicante e ajude a equilibrar melhor o intestino, a água de arroz não pode ser considerada propriamente um remédio para pet. Vale destacar que, antes de oferecer algum "medicamento" para o cachorro, é fundamental investigar a causa do problema - que pode ser mais grave que o esperado, por exemplo. Diante disso, a veterinária Izadora Trindade destaca alguns pontos importantes:

"Água de arroz não faz parte do nosso protocolo médico para tratamento de diarreia. O arroz em si é um grão com alto poder de absorção e retenção de líquidos, e a capacidade intestinal de segurar líquido é perdida na diarreia. Nesse caso, a explicação para a crença de que a água de arroz ajuda na diarreia pode vir dessa propriedade de retenção de líquidos", explica a especialista.

"A recomendação em caso de diarreia em pet é sempre procurar ajuda médica, pois há inúmeras causas para esse quadro (intoxicações brandas, doenças infecciosas, envenenamento, entre outras) e a determinação do motivo é essencial para a correta condução do tratamento. Lembrando que, embora a diarreia não represente uma emergência, a desidratação é", complementa a veterinária.

Como evitar que o cachorro tenha diarreia ou intoxicações?

Para evitar possíveis problemas no aparato intestinal do cachorro - e manter o pet saudável a longo prazo - o mais importante é tomar os devidos cuidados com a alimentação e hidratação do pet. Oferecer sempre água fresca, por exemplo, é primordial para evitar diarreias e outros problemas. Para que o dono não recorra à água de arroz (ou a outros remédios caseiros para desintoxicar cachorro sem eficácia comprovada), a veterinária Izadora dá algumas sugestões de cuidados necessários no dia a dia:

"A alimentação ideal para o animal consiste em ração de boa qualidade. Pode-se inserir alimentos do nosso dia a dia (frutas ricas em água como mamão, melão, melancia, banana, legumes como cenoura, batata, chuchu). Mas sempre como petiscos, jamais deixando de lado a ração como base da alimentação", afirma.

Você sabia que é possível montar um cardápio bem natural sem usar necessariamente ração? Isso é indicado, por exemplo, para cães que têm dificuldade de comer. No entanto, essa dieta alternativa deve ser montada necessariamente com o auxílio de um médico veterinário. "Existe a possibilidade de uma alimentação natural, em que a ração sai de cena e toda a alimentação é feita com base nos alimentos para consumo humano. Mas isso deve ser formulado por um médico veterinário nutricionista, baseado na individualidade de cada animal. Não se deve oferecer cebola, frutas cítricas, uva, chocolate, alimentos gordurosos e ricos em açúcar, nem pedaços de ossos que podem se quebrar e formar estruturas pontiagudas. Vale reforçar que perfurações de órgãos podem causar diarreia e são uma emergência cirúrgica", finaliza a veterinária.

* Izadora Trindade (CRMV-RJ 15798) é formada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Matérias: Pets

Ver mais