Economia do lar

7 dicas que todo economista doméstico quer que você saiba

Fazer uma planilha com os gastos é essencial para enxugar o orçamento
Fazer uma planilha com os gastos é essencial para enxugar o orçamento

Dia 21 de outubro é o Dia Nacional do Economista Doméstico. Apesar de muitos não saberem, essa profissão é importante, sendo preciso ter um curso universitário para exercê-la. O economista doméstico é aquele profissional que verifica, organiza e simplifica o orçamento doméstico e a saúde financeira do lar. Mas, para isso, ele precisa contar com a colaboração de quem mora na casa e quer realmente melhorar as finanças. Ainda assim, você pode seguir algumas dicas bem simples sozinho, que todo economista doméstico recomenda e que vai melhorar e muito a sua relação com a casa. Quer aprender?

1. Faça uma planilha

A planilha é a clássica melhor amiga do dono e da dona de casa. Ela vai te ajudar a organizar melhor os gastos domésticos e a verificar o que sobra. Coloque os gastos básicos primeiro: as contas de energia elétrica, água, aluguel ou prestação da casa, mercado, farmácia, escola das crianças etc. Depois, coloque o que todos gastam com o que sobra. Fazer uma planilha ajuda a deixar bem claro para onde o dinheiro está indo.

2. Pague as contas antes do vencimento

É muito importante pagar as contas antes do vencimento. Quase todos os boletos possuem multa por atraso, sem falar nos juros, que crescem a cada dia em que a conta não é paga. Pode parecer um valor pequeno, mas não é. Digamos, por exemplo, que você sempre atrase uma conta cuja multa é R$ 2. Em 1 ano você terá gastado R$ 24 sem necessidade. Isso sem falar que o seu Score baixa. É bom lembrar que essa pontuação, que vai de 0 a 1.000, indica o quão bom pagador você é. Quanto mais alto o valor, maiores as chances de aumentar o limite do cartão de crédito, pedir empréstimo ou negociar uma dívida. Entendeu por que é bom pagar as contas sem atraso?

3. Tenha uma lista de mercado

Vai ao mercado? Então aproveite para dar uma boa olhada na despensa e ver o que realmente está faltando e faça uma lista precisa. Quando for para o mercado, vá com uma estimativa de gastos na cabeça e compre apenas o que estiver na lista. Também evite ir ao mercado no horário das refeições e com fome: isso faz com que você compre mais besteiras por impulso.

4. Aproveite as ofertas específicas

A carne está em promoção hoje? Os produtos de limpeza estão com 20% de desconto? Aproveite! As ofertas específicas são uma baita economia para quem quer dar uma enxugada no orçamento doméstico. Não as deixe passar e, se possível, faça um estoque de produtos não perecíveis. Por exemplo, você pode aproveitar a promoção de amaciante ou sabão em pó, e não precisar comprar um novo por alguns meses.

5. Apague a luz e desligue os aparelhos das tomadas

Dá para economizar na conta de energia elétrica com hábitos simples: sempre que sair do ambiente, apague as luzes. Tire da tomada os aparelhos eletrônicos, como televisão e computador, e alguns eletrodomésticos, como o micro-ondas e a máquina de lavar. Uma outra forma de economizar energia é tomar um banho consciente no chuveiro elétrico.

6. Evite parcelar suas compras

Parcelar as compras pode parecer mais fácil e prático, mas na verdade é uma dívida prolongada e estendida. O desejável é sempre comprar à vista, e de forma consciente, guardando um pouco a cada mês para atingir aquela compra. Se precisar mesmo parcelar, opte por poucas vezes. Lembre-se: os "12x sem juros" são na verdade, uma dívida durante um ano inteiro.

7. Faça uma reserva de emergência

Guarde sempre um pouquinho do que sobrar no mês para uma emergência futura. Pode ser qualquer trocado, mas o ideal é que isso seja um hábito. É muito importante que todos tenham um fundo de emergência, para alguma eventualidade, um medicamento ou uma conta inesperada. Isso evita que você recorra a empréstimos e dívidas.

Matérias: Economia do lar

Ver mais